Blog

Ouvir Emicida

0

Emicida

img-1032480-emicida

Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido pelo nome artístico Emicida (São Paulo, 17 de agosto de 1985), é um rapper, repórter e produtor musical brasileiro. É considerado uma das maiores revelações do hip hop do Brasil nos últimos anos. O nome “Emicida” é uma fusão das palavras “MC” e “homicida”. Por causa de suas constantes vitórias nas batalhas de improvisação, seus amigos começaram a falar que Leandro era um “assassino”, e que “matava” os adversários através das rimas. Mais tarde, o rapper criou também uma conotação de sigla para o nome: E.M.I.C.I.D.A. (Enquanto Minha Imaginação Compuser Insanidades Domino a Arte). As suas apresentações ao vivo são acompanhadas do DJ Nyack nos instrumentais.

A primeira aparição do rapper na mídia – fora as batalhas de improvisação – foi o single “Triunfo”, acompanhado de um videoclipe com mais de 7 milhões de visualizações no YouTube. Emicida lançou seu trabalho de estreia em 2009, uma mixtape de vinte e cinco faixas intitulada, a Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe…, pela gravadora independente Laboratório Fantasma. Em fevereiro de 2010, seu segundo trabalho veio em formato de EP com o título Sua Mina Ouve Meu Rep tamém. Em 15 de setembro do mesmo ano, foi lançada a também mixtape Emicídio, adjunta a um single homônimo. Além de ser cantor, Emicida atuou como repórter nos programas Manos e Minas, da TV Cultura e no sangue B da MTV.

Em fevereiro, Emicida fez uma participação especial no Altas Horas, programa de auditório da Rede Globo, onde apresentou as canções “E.M.I.C.I.D.A.” e “Triunfo”. Sua presença no programa marcou uma nova era do rap nacional, que antes era conhecida pela mente fechada, com pouca aparição na mídia e críticas para a respectiva emissora. Ingressou no elenco do programa Manos e Minas, da TV Cultura, em abril de 2010, onde se tornou repórter, entrevistando diversas celebridades do mundo musical. Realizando diversas apresentações pelo Brasil, Emicida foi convidado a participar da Virada Cultural de 2010, onde se apresentou junto com Ellen Oléria e foi considerado um dos destaques do evento, junto a Mallu Magalhães.

Em outro festival no mesmo ano, o Coquetel Molotov, o rapper também foi considerado como uma das principais atrações do evento. Juntamente com rappers como Kamau, Rincon Sapiencia, Rappin’ Hood, Negra Li e Aggro Santos, Emicida fez uma participação no novo álbum de NX Zero, chamado Projeto Paralelo. Emicida cantou Só Rezo 0.2 junto com a rapper norte-americana Yo-Yo (afiliada dos consagrados Ice Cube e Public Enemy), música que foi acompanhada de um videoclipe. Em 5 de setembro de 2011, Emicida estreou um programa próprio na programação da MTV Brasil, chamado Sangue B, onde traz várias informações relativas ao rap e hip hop nacional e internacional.

As músicas mais tocadas do cantor são:

Passarinhos (feat. Vanessa da Mata)
Levanta e Anda (part. Rael)
Hoje Cedo (part. Pitty)
Alma Gêmea (part. Rafa Kabelo)
Eu Gosto Dela (part. Daniel Cohen)
Madagascar
Então Toma
8
Baiana (feat. Caetano Veloso)
Hey Rap

 

Ouvir Diogo Nogueira

0

Diogo Nogueira

contato-contratar-diogo-nogueira-1

Diogo Nogueira (Rio de Janeiro, 26 de abril de 1981) é um cantor, compositor e apresentador de televisão brasileiro.

Esteve nas rodas de samba do pai ao longo de toda a infância e adolescência, mas virou jogador de futebol, seguindo uma vontade do pai, o músico João Nogueira. Diogo Nogueira chegou a atuar pelo Cruzeiro de Porto Alegre, em 2005, após se destacar em jogos da várzea carioca. Ele assinaria um contrato com o empresário Baidek, mas teve uma lesão no joelho e voltou ao Rio de Janeiro. Novamente na sua terra natal, Diogo passou a frequentar rodas de samba e formou uma banda própria. Também assinou contrato com a gravadora EMI. Com o álbum “Diogo Nogueira Ao Vivo”, Diogo se lançou na carreira de cantor solo.

O álbum conta, em sua maioria, com sambas compostos por João, como “Espelho”, “Poder da Criação” e “Clube do Samba”. Mas possui também canções compostas por Diogo, como “Samba pros Poetas”. Diogo Nogueira conseguiu o que seu pai nunca havia conseguido na Ala de Compositores da Portela.

Emplacou o samba que foi cantado na avenida no Carnaval 2008. Ao lado de outros nomes, Diogo compôs “Reconstruindo a natureza, recriando a vida: o sonho vira realidade”. A agremiação tirou o 4º lugar e voltou para o Sábado das Campeãs, após 10 anos ausente. Desde lá ganhou várias vezes consecutivas na Portela.

Em 2010, ganhou o prêmio de Melhor Artista ou Banda de MPB no VMB 2010. É apresentador do programa Samba na Gamboa, na TV Brasil e na TV Cultura. Em 2012, Diogo lançou a coletânia Samba Book – João Nogueira em homenagem à obra de seu pai.

As músicas mais tocadas do cantor são:

Batendo A Porta
Alma Boêmia
Altos e Baixos
Além Do Espelho
Acreditar – Sonho Meu – Coração Em Desalinho – Deixa a Vida Me Levar (ao vivo)
Deixa Eu Te Amar
Tim Tim Por Tim Tim
A Vitória Demora Mas Vem
Verdade Chinesa
Espelho

Ouvir Nosso Sentimento

0

Nosso Sentimento

20141022110453_88

Nosso Sentimento é um grupo brasileiro pagode formado em 2002. Os integrantes do Nosso Sentimento foram apadrinhados pelo cantor Belo.

O grupo foi formado por ex-integrante do grupo Nova Geração e grupo Sentimento 6 no ano 2002 no bairro de Anchieta, Zona Norte do Rio.

Em 2007 lançam o álbum É tão lindo, este álbum teve a música “Sonho de Amor” entre as 10 mais tocadas na capital do Rio de Janeiro, no mesmo ano o grupo Drconquistou o prêmio “Revelação do Pagode” da rádio FM O Dia.

Em 2009 lançam um DVD chamado Assim!, este DVD teve relançamentos das músicas do primeiro álbum do grupo, também teve a música “Cheias de Manias” que já foi um sucesso da banda Raça Negra.

Em 2011 veio o álbum chamado Fora da Lei que teve 14 músicas, são elas: “Fora da lei”, “Te amo tanto” e “Nosso amor venceu”.

Em 2012, lançam um DVD chamado Liberdade gravado na Via Show e com varias participações de grupo Imaginasamba, cantor Belo e o ator Ailton Graça.

Em 2014 na Praça do Conjunto Habitacional IAPI, localizado na Penha (RJ), nas comerações do Réveillon, o grupo neste dia fez um show que foi um dos mais destacados do palco montado neste lugar.

O grupo já fez shows em lugares como Big Field, Ita Show, Kokeluxe, Maison de Cabo Frio, Olimpo, Nova Show, Rio Sampa, Scala Rio, Tanguá Show, Terreirão do Samba, Via Brasil, Via Show e outros lugares.

As músicas mais tocadas do grupo são:

Pele Na Pele
Amar e Ser Amado
Coisas da Vida (feat. Belo)
É Tudo Ou Nada
Papel de Homem
Namoro Escondido / Por Amar Você
Aquele Beijo
É Tão Lindo
Deixa Eu Voltar pra Casa
Psicose de Ciume

 

Ouvir Sampa Crew

0

Sampa Crew

sampa_crew

 

Sampa Crew é um grupo musical Brasileiro de R&B contemporâneo formado em 1987, pelo rapper, produtor e compositor J.C. Sampa, onde mais tarde se juntou aos cantores Ricardo Anthony, Júnior Vox, o DJ Alam Beat e os dançarinos Guru e Ed Carlos. O grupo é conhecido pelo seu rap romântico e misturar os gêneros charme, funk melody, rap e soul em suas músicas. No final de 2008, o cantor Valtinho Jota recebeu um convite inesperado para integrar o grupo, onde fez parte por dois anos, e em 2010 deixou o grupo e seguiu carreira solo. No mesmo ano, a cantora Dani Voguel, falecida em 2013, tornou-se a nova integrante do grupo Sampa Crew, sendo a primeira mulher a fazer parte do grupo ao longo dos 25 anos de carreira.

O grupo Sampa Crew apareceu em 1988 na coletânea O Som das Ruas. Mudou o caráter engajado para algo mais romântico passando também por algumas formações. O grupo assinou contrato com a gravadora Epic Records em 1993 depois de emplacar alguns sucessos. Em 1994 foi lançado o álbum Sampa Crew, que teve como sucessos “Eterno Amor” e “Se Me Lembro Faz Doer e Mesmo Assim” e no mesmo ano foi certificado ouro por mais de 100 mil cópias vendidas. Nos álbuns seguintes o grupo teve mais sucessos como “Me De Uma Chance”, “Alma Metade”, “Coração te Acalma” e “Preciso te Esquecer”. A gravadora Epic propôs ao grupo que mudasse o estilo rap nas músicas para o apenas cantado. O grupo não aceitou e lançou seu próprio selo, a Big Posse. No ano de 2000, o grupo lançou seu primeiro álbum independente intitulado, Sampa Crew ou Eu Nasci Para te Amar, e voltou a mídia brasileira fazendo sucesso nas radios brasileiras, principalmente em São Paulo onde o grupo faz mais apresentações. O mesmo sucesso se repetiu em 2002 com o álbum A Noite Cai e em 2004 com Baladas & Romances. No ano de 2006, o grupo foi indicado ao Prêmio TIM de Música na categoria Melhor Grupo de Canção Popular, mas acabou perdendo para A Cor do Som. Em 2007 lançaram de forma totalmente independente o DVD, 21 Anos de Baladas. Em 2011 lançaram o CD De Corpo e Alma.

As músicas mais tocadas do grupo são:

Eterno Amor
Eterno Amor (Ao Vivo)
Alguém Vai Sofrer
O Anjo E A Flor
Eu Nasci Pra Te Amar (Ao Vivo)
Preciso de Você
A Fim De Você
Você Perto de Mim (Ao Vivo)
Distância
Amor Virtual

Ouvir Maná

0

Maná

mana

 

Maná é uma banda de pop rock mexicana fundada em 1987 em Guadalajara, inicialmente com o nome de “Green Hat”. Alguns anos depois mudou para “Sombrero Verde” e posteriormente para “Maná”. O som do grupo é descrito como uma mistura de pop rock, pop latino , calypso, reggae e ska. É considerado por muitos como a banda latino-americano mais influente e bem sucedida de todos os tempos com mais de 40 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo.

Atualmente é uma das bandas de rock latino de maior sucesso, e ganhando 4 Grammy Awards, oito Grammy Latinos, cinco MTV Video Music Awards Latin America, cinco Premios Juventud, e quinze Billboard Latin Music Awards. Após sucesso inicial na América Latina, o grupo começou a ter exposição na Austrália e Espanha, e em seguida garantiu popularidade nos Estados Unidos, Europa Ocidental, Ásia, e o Oriente Médio.

Em 1978, o cantor Fernando “Fher” Olvera e o guitarrista Gustavo Orozco junto com os irmãos Calleros (o baixista Juan Diego, o guitarrista Ulises e o baterista Abraham) fundaram um grupo de covers, inicialmente chamado Green Hat Spies, depois Green Hat, para enfim focando nas raízes latinas e o repertório em espanhol, para Sombrero Verde.

No principio dos anos 80, a banda lança dois álbuns, Sombrero Verde e A Tiempo de Rock. Estes discos tiveram pouco sucesso e em 1984 Orozco e o Abraham Calleros saíram da banda. Através de um anúncio de classificados, Alex González se tornou o novo baterista, e logo depois a banda mudou o nome para Maná, evocando a palavra polinésia “mana”, que é energia positiva. O recém-rebatizado grupo assinou com a Polygram e gravou um disco com o nome Maná (1987) (e fez seu primeiro videoclipe, da música “Robot”). Depois insatisfeitos com a gravadora foram para a Warner Music e lançaram Falta Amor (1990), disco que os trouxe reconhecimento na América Latina, com o primeiro grande sucesso “Rayando El Sol”, e outros sucessos como “Buscándola” e “Perdido En Un Barco”.

Em 1992 Ulises Calleros decide deixar a guitarra e virar empresário do Maná, e ao mesmo tempo entraram no grupo o guitarrista César “Vampiro” López e o tecladista Ivan Gonzáles, que gravaram Donde Jugaran Los Niños. O disco recebeu premios de vendas em quase todo o continente americano, e tem sucessos como “Oye mi amor”, “Como te deseo”, “Te Lloré Un Río” e “Vivir Sin Aire”.

Dois anos depois, em 1994, López e Gonzáles abandonam o grupo por diferenças artísticas. Fher Olvera, Alex González, e Juan Calleros tocam por um tempo como um trio, e lançam o álbum Maná En Vivo, um registro de show com a ajuda de Gustavo Orozco na guitarra, Sheila Ríos nos vocais e Juan Carlos Toribio nos teclados.

Em 1995, com o novo guitarrista Sergio Vallín, lançam Cuando Los Ángeles Lloran (em homenagem ao brasileiro Chico Mendes), com os sucessos “Como un perro enloquecido”, “Ana”, “Hundido En Un Rincón”, “Déjame Entrar” (música que abriu maior parte ou todos os shows da turnê Amar Es Combatir) e “No ha parado de llover”. Também criam a Fundação Selva Negra, que se encarrega de proteger a ecologia das Américas.

Em 1997 é lançado Sueños Liquidos, lançado em 36 países. “En el muelle de San Blas”, “Hechicera” e “Clavado en un bar” foram sucessos nas rádios. Em pouco tempo Maná ganha certificados de vendas em todos os países em que foi lançado, incluindo Espanha e Estados Unidos, onde o Maná tinha vendido até o momento 500 mil cópias.

Em 1999 gravam um Acústico MTV e em 2000 colaboram com Carlos Santana na canção “Corazón Espinado”, do seu álbum Supernatural.

Depois de três anos Maná lança ao mercado Revolución de Amor. Este álbum teve como sucessos: “Angel de Amor”, “Eres mi Religión” y “Mariposa Traicionera”. O disco teve a colaboração de Carlos Santana e sua guitarra em “Justicia, Tierra y Libertad” e também com Ruben Blades em “Sabanas Frías”. Por último, o destaque para Sergio Vallin Loera, que estreou como vocalista cantando “Por que te vas?”. No cd, Alex “El Animal” González é o vocalista das músicas “Sin Tu Cariño”, “Fe” e “Nada Que Perder”.

No final de 2003 lançam 3 compilações: Sol, Luna e Eclipse, que incluem os temas de maior sucesso e outras colaborações da banda, com a música inédita “Té llevaré al cielo”. Em 2004 saiu a venda o DVD chamado Acceso Total, que inclui uma mistura de imagens de vários shows e bastidores.

Atualmente a banda de rock latino de maior sucesso. Em 2006 lançaram mundialmente Amar es Combatir, com “Labios Compartidos” como primeiro single – tendo sucesso imediato nas rádios mexicanas atingindo o primeiro lugar após quatro dias do lançamento. Nos EUA a canção atingiu o primeiro lugar nas rádios pop latinas em pouco mais de uma semana do lançamento e está subindo rapidamente na lista das mais tocadas das rádios latinas, ficando três semanas em primeiro lugar da Billboard Hot Latin Songs. O segundo Single “Bendita Tu Luz” assim como o primeiro single do último álbum da banda obteve grande exito nas rádios latinas dos EUA alcançando primeiro lugar da parada Hot Latin Songs da revista Billboard.

Em 2008, Maná lançou o álbum ao vivo Arde El Cielo, em um pacote com CD ou um DVD incluso com um show na Colômbia. Em 2011, quebrando um hiato de 5 anos depois do último trabalho de estúdio, foi lançado sDrama y Luz em três versões, CD, CD e DVD com clipes e making of, e LP.

As músicas mais tocadas da banda são:

Labios Compartidos
Vivir Sin Aire
Corazón Espinado (feat. Santana)
Mariposa Traicionera
Si No Te Hubieras Ido
Amor Clandestino
En El Muelle De San Blas
Eres Mi Religion
Bendita Tu Luz (En vivo)
Arde El Cielo

Ouvir Fundo de Quintal

0

Fundo de Quintal

2015_810151360-fundo_de_quintal__2014___marcos_hermes-9_20150422

 

Fundo de Quintal é um grupo de samba formado no Brasil no final da década de 1970. Surgido a partir do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, da cidade do Rio de Janeiro, o grupo tornou-se uma referência original no sub-gênero pagode.

Composto principalmente por sambistas da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, o Fundo de Quintal se caracterizou por usar instrumentos – até então pouco comuns em rodas de samba – como o banjo, o tantã, o repique de mão . O grupo inicialmente era composto pelos sambistas Almir Guineto, Bira Presidente, Jorge Aragão, Neoci, Sereno, Sombrinha e Ubirany. Mais tarde, Arlindo Cruz e Walter Sete Cordas integraram o conjunto musical. Após a saída de Walter Sete Cordas, Cleber Augusto fez parte do grupo .Atualmente o grupo é composto por Ademir Batera, Ronaldinho, Sereno, Bira Presidente e Ubirany.

Tendo como “madrinha” a cantora Beth Carvalho, o grupo gravou vários álbuns, alguns deles discos de Ouro e Platina. Alguns de seus maiores sucessos são ” “A Batucada dos Nossos Tantãs”, “E Eu Não Fui Convidado”, “Boca Sem Dente”, “Ô, Irene”, “O Show Tem Que Continuar”, “Do Fundo do Nosso Quintal”, “Só pra Contrariar”, “Miudinho”, “Bebeto Loteria”, “Não Vai na Conversa Dela”, “”Vai Lá Vai Lá””, “Parabéns pra Você”, “Andei, Andei”, “Malandro Sou Eu”, “Tô Que Tô”, entre outros.

O Fundo de Quintal surgiu no dia 20 de janeiro no final da década de 1970 dentro do bloco carnavalesco Cacique de Ramos, em Ramos, subúrbio da região da Leopoldina, na cidade do Rio de Janeiro. A primeira formação do conjunto de samba tinha Almir Guineto, Bira Presidente, Jorge Aragão, Neoci (filho do célebre compositor João da Baiana), Sereno, Sombrinha e Ubirany. Eles se reuniam sempre às quartas-feiras para fazer um som que começou a atrair a atenção de

Gente importante do mundo do samba. O grupo tocava músicas de grandes sambistas e composições próprias, inovando na maneira de falar do cotidiano e sempre com um ritmo diferente, através da utilização de instrumentos até então incomuns nas rodas de samba, como o banjo com braço de cavaquinho (criado por Almir Guineto), o tantã(criado por Sereno), o repique-de-mão (criado por Ubirany) . Desta forma, foram considerados um dos criadores de um estilo que, posteriormente, influenciou praticamente todas as bandas de pagode, sub-gênero dentro do samba que surgia naquela época.

Em 1978, Beth Carvalho convidou o componentes do Fundo de Quintal para participar de seu disco “Pé no Chão”, produzido por Rildo Hora, que mais tarde viria a produzir vários trabalhos do grupo. Em 1980, a gravadora RGE lançou o primeiro disco do grupo, “Samba é No Fundo do Quintal”,trabalho que foi bem aceito pela crítica musical da época, que foi puxado pelo sucesso de “Você Quer Voltar” (Pedrinho da Flor e Gelcy do Cavaco), “Sou Flamengo, Cacique e Mangueira” (Luiz Carlos), “Prazer da Serrinha”(Hélio dos Santos e Rubens da Silva), “Zé da Ralé” (Almir Baixinho e Diogo) e “Gamação Danada” (Almir e Neguinho da Beija-Flor).

Bastante conhecido no mercado musical, o grupo obteve mais sucesso com o LP “Ciranda do Povo”, de 1989, entre eles: “Miudinho, Meu Bem, Miudinho” (Franco e Arlindo Cruz), “Não Valeu” (Franco, Arlindo Cruz e Marquinhos PQD), “Coração Andorinha” (Beto Sem Braço e Luiz Carlos da Vila) e “Folha de zinco” (Jurandir da Mangueira e Ratinho). No ano seguinte, foi lançado “Ao Vivo”, primeiro trabalho gravado em concerto. Já contando com o mais novo integrante, o paulistano Mario Sergio passa a fazer parte como vocalista do grupo e em 1991 lançam o álbum “É Aí Que Quebra A Rocha”, que trouxe como sucessos “Pagodeando” (Sereno e Noca da Portela), “Quantos Morros Já Subi” (Arlindo Cruz e Mário Sergio e Pedrinho da Flor) e “Aquela Dama” (Arlindo Cruz e Jorge David e Acyr Marques, Canto Pra Vela Guarda(Mario Sergio, Carica e Luizinho, Menina da Colina(Mario Sergio e Luisinho To Blow). Com o lançamento do LP “A Batucada dos Nossos Tantãs”, em 1993 (com Ronaldinho substituindo Arlindo Cruz), o grupo obteve êxito com a faixa-título (Adilson Gavião, Sereno e Robson Guimarães), “Um Lindo Sonho” (Arlindo Cruz e Mário Sergio) e “Coisas Do Passado” (Cleber Augusto e Djalma Falcão). No ano seguinte, foi lançado “Carta Musicada”, que teve como principais sucessos “Vai Lá Vai Lá” (Moisés Santiago, Alexandre Silva e André Rocha), “O Nó Da Gravata”(Márcia Martins e Carlos Colla) e “Nos Quintais do Mundo” (Luizinho e Mário Sergio).

As músicas mais tocadas do grupo são:

A Força do Samba
Aquela Dama
A Flor e o Samba
Sorriso Negro
A Oitava Cor
A Amizade
A Batucada Dos Nossos Tantãs – Do Fundo Do Nosso Quintal
Chuá-Chuá – Fui Passear No Norte – Moema Morenou
Amor dos Deuses / Sem Segredo (Ao Vivo)
Bebeto Loteria

Ouvir Harmonia do Samba

0

Harmonia do Samba

harmonia-do-samba-12

 

Harmonia do Samba é um grupo musical brasileiro de pagode baiano formado em Salvador, Bahia em 1993. Tem atualmente como vocalista o Xanddy. Atual vencedora do Troféu Castro Alves na categoria Melhor Banda de Pagode e Melhor Bloco de Pagode do Carnaval 2012 – Bloco Meu e Seu.

Em 1993, Roque Cezar, que residia na “Capelinha de São Caetano”, bairro humilde de Salvador, quando adolescente, pediu à mãe para que lhe desse instrumentos musicais. Na época ele gostava de samba de raiz como Fundo de Quintal, Almir Guineto etc. E os ensaios aconteciam na varanda da sua casa.

O gosto por música foi aumentando, e novos membros incorporados à banda. O maestro Bimba, no contrabaixo ficou a par dos arranjos das músicas além de parte das composições.

Em 1995, o vocalista Xanddy do grupo Gente da Gente assumiu os vocais da banda. O grupo ao longo do tempo compôs músicas valiosas como “Nova Dança”, “Menina Quebra” (como era conhecida), “Vem Neném”, “Elevador”, “Uva” entre outras. A desenvoltura do grupo agradava aos ouvidos, assim como o repertório polivalente e distinto pela sua vivacidade. A banda mesclava de forma quase incessante músicas de outros grupos de sucesso como “Gera Samba” (o atual “É o Tchan”), “Bom Balanço”, “Patrulha do Samba”, além de funks e músicas de sucesso na época não demorando muito para cair na boca do povo. Mas o que mais chamava atenção era a projeção que se poderia fazer a partir da originalidade do vocalista Xanddy, que se mostrava um excelente dançarino, improvisador e comandante da banda de forma a entreter o público.

No meio do show, por exemplo, ele parava na música “Vem Neném” logo na introdução onde colocavam um clima romântico e mandava apagar as luzes do palco. Logo depois começava uma série de gemidos sexuais que se estendiam por um minuto e mais um pouquinho, com a música romântica de fundo. Algo original e que deixava o público feminino delirando e o masculino enraivecido. A performance do vocalista ao rebolar de maneira incomum também chamava bastante atenção que diferentemente dos outros grupos da época em que a maior parte tinha dançarinas (geralmente era uma loira e uma morena), para ensinar ao público às coreografias, o Harmonia do Samba só tinha homens em sua formação e quem dançava e cantava ao mesmo tempo era o Xanddy ensinando as coreografias ao público. Seus bordões também eram atípicos vindo de forma natural e original, nunca antes repetido daquela forma no pagode baiano. No improviso entre palavras e versos, Xanddy gritava “Chora”, “Aaaaaiiiii”, “Fui”, “One, Two, Three” entre outras coisas. E diferentemente, a banda não imitava as outras em suas músicas apesar de se localizar no “pagode baiano”.

Logo no primeiro disco lançado, pela gravadora Abril Music, a ainda arrancou 750 mil cópias vendidas e a banda se tornaria rapidamente um fenômeno nacional. Contava com músicas como “Rebolado”, “Nova Dança”, “Desafio”, Uva, “Meus sentimentos” (um pagode romântico) entre outras músicas de sucesso. Daí em diante, os vocalistas passaram a adotar naturalmente o “estilo de Xanddy” de cantar, lançando sempre que podiam os bordões que lhes conviesse, hoje algo quase “obrigatório” aos cantores de pagode baiano. No segundo CD, ele mandaria o famoso “E demorou para abalar!” antes do refrão da música “Paradinha”, carro-chefe do álbum “O Rodo” foi quando ele “disse ao que veio” ao público. A banda se apresentou no Festival de Verão de Salvador, evento que reúne grandes bandas do momento e artistas mais consagrados, com transmissão da TV “I Bahia” da família do antigo e falecido senador Antônio Carlos Magalhães. O sucesso foi unânime arrancando aplausos do Brasil e elogios de feras como Caetano Veloso por exemplo. Tornando-se assim facilmente uma referência aumentando ainda mais os sucessos da banda. Conhecido também como de “Carla Perez de calça”, principalmente após anunciar namoro com a ex-dançarina do “Tchan” que viria a ser sua futura esposa com quem tem até hoje dois filhos.

No segundo CD, a música “Paradinha” foi também um fenômeno , lançando inclusive um clipe que foi passado pelos programas da época como o “Planeta Xuxa” da rainha dos baixinhos, a maior vendedora de discos do Brasil (ressaltando, do sexo feminino, é claro). A música partiu de uma brincadeira do “Cleiton Paradinha” um membro da banda que fez uma brincadeira dando continuidade nos shows da banda. Ele no meio do show assumia o vocal e cantava: “Eu sou o Cleiton- Eu sou da Bahia – Eu sou o Cleiton e meu swing é do Harmonia…”. Xanddy ainda aproveitou outras brincadeiras como “Joga o Laço” em que ele jogava um laço imaginário para a platéia e puxava, enquanto essa por sua vez, ia em direção ao palco euforicamente. Frequentemente isso dava trabalhos para os seguranças. Essa música no entanto desembocou em uma composição de enorme sucesso da banda, em parceria com Reinaldo do grupo Terra Samba. “Rodo” também foi bastante tocada, assim como “Minha Inha” e “Zueira”, além de “Esmeralda” tema de uma novela com o mesmo nome na emissora de Silvio Santos SBT. Xanddy foi escolhido o melhor cantor do Carnaval de Salvador pelo “Band Folia” no carnaval de Salvador no ano de 2004. Sua voz foi elogiada pelo ex-membro da Tropicália, referência cultural tendo um aporte simbólico para o povo baianopor ter tido membros ilustres na contemporâneidade como Gilberto Gil, Gal Costa, Moraes Moreira e o próprio Caetano que são cantores reconhecidos internacionalmente ganhando diversos prêmios de importância.

Depois a banda emplacou sucessos como “Overdose de Carinho” uma salsa, “Tira a mão do bolso”, “Peneira”, “Destrambelhada”, “Mata papai”, “Ficou de Mal”, “Deslizando”, “Quebra e Samba”, “Batifun”, “Samba Merengue”, “Comando”, “Selo de Qualidade” entre outras. Destaque para a performance musical misturando o samba e o merengue na música “Samba Merengue” de uma forma notável e que se distintiva. Assim como a mistura de salsa e “pagode baiano” (essas nomeclaturas nem sempre descrevem a essência do que quer se tratar como dizia Jaques Lacan).

Lançando seu trio elétrico no Bloco “Meu e Seu” no mesmo ano de lançamento do álbum homonimo, “Meu e Seu” no ano de 2003. Amadurecendo musicalmente e configurando-se assim por diante, numa grande banda de Salvador e o vocalista Xanddy em particular como “O maior cantor de pagode baiano” de todos os tempos aparecido até aquele momento, como bem definiu o diretor da EMI Music, nos bastidores do DVD lançado na Concha Acústica de Salvador. Ao todo são 12 CDs lançados. Valendo ainda lembrar outros projetos como Harmonia Light, no qual a banda ensaiou com sucesso músicas de MPB e outros de cunho romântico, investindo no pagode mais para o público dos apaixonados, além dos famosos Ensaios de Verão(A melhor segunda-feira do mundo) que no ano de 2011 foram eleitos como os melhores ensaios da Bahia, com o Harmonia cantando hits antigos, novos e sucessos de outras bandas, que já contaram com participações especiais como Ivete Sangalo, Saulo Fernandes e Gilberto Gil, entre outros. No entanto, os méritos são da Banda como um todo desde o figurino dos artistas ao vocalista que acaba sendo “garoto propaganda” numa sociedade cuja publicidade precede a essência do indivíduo em si por meio da divulgação e do julgamento.

As músicas mais tocadas do grupo são:

Agachadinho
Agora Mexe (Êta Quebradeira)
A Viola do Lú
Daquele Jeito
A Gente Sacode
Ai Ai Ai (Samba De Roda)
Batida
Desafio
Comando
Balança Tudo (Ao Vivo em Salvador)

Ouvir Ponto de Equilíbrio

0

Ponto de Equilíbrio

foto_banda

 

Ponto de Equilíbrio é uma banda de reggae do Rio de Janeiro, Brasil.

Nascida em 1999, em Vila Isabel, a banda Ponto de Equilíbrio surgiu do encontro de oito músicos. Ponto de Equilíbrio se tornou uma das principais bandas de reggae do Brasil. A banda iniciou tocando para um público jovem em praias e bares do Rio de Janeiro, mais tarde iniciou sua trajetória de apresentações pelo Brasil, sendo em São Paulo onde ganhou grande público. As letras, compostas pelos próprios integrantes, transmitem mensagens de igualdade, amor e justiça, de acordo com a filosofia rasta. O som conta com influências de dub e samba e de alguns ritmos regionais como a capoeira de Angola, o maculelê e o maracatu. O nome da banda surgiu como o equilíbrio entre o céu e a terra, o positivo e o negativo, o bem e o mal. Em 2004, a banda lançou o álbum Reggae a Vida com Amor. As músicas Aonde vai chegar? (Coisa Feia), Árvore do Reggae e Ponto de Equilíbrio fazem parte do primeiro CD do octeto que foi um lançamento independente com mais de 50 mil cópias vendidas. Em 2006 eles tocam com frequência nas capitais do país.

Em 2012, começam gravar o primeiro DVD da banda Juntos Somos Fortes. Em 2013 a banda lança seu primeiro DVD ao vivo gravado no Rio de Janeiro na casa de eventosCirco Voador cantando os maiores sucessos da banda e lançando também sua nova música, Estar com você. O DVD também contou com participações especiais do cantor Marcelo D2 e do baixista da banda O Rappa, Lauro Farias .

As músicas mais tocadas da banda são:

A Vida de um Rastaman (feat. Alexandre Carlo)
Aonde Vai Chegar
#DVDPontoOficial
Abre a Janela
Estar Com Você
Aonde Vai Chegar (Coisa Feia)
Abre a janela (disco completo)
Aonde Vai Chegar
Santa Kaya
10 Anos

Ouvir Wanessa

0

Wanessa

comparacoes-entre-sandy-e-wanessa-9

Wanessa Godói Camargo Buaiz (Goiânia, 28 de dezembro de 1982), conhecida profissionalmente como Wanessa Camargo, é uma cantora e compositora brasileira, que mescla a música pop e música romântica, presente desde o início de seu trabalho, com outros gêneros como electropop, que foi seu estilo de 2010 a 2014, e música sertaneja, gênero que adotou em seu recente trabalho. Em 1995 integrou a versão brasileira do musical Cats e, em 1998, passou a integrar o grupo de bailarinos da dupla Zezé Di Camargo e Luciano em seus shows. Musicalmente, Wanessa vendeu em torno de 1 milhão de cópias.

Em 2000 assinou com a BMG e lançou seu primeiro álbum de estúdio, o homônimo Wanessa Camargo, apostando em um estilo musical focado no country e vendendo 300 mil cópias com os singles “O Amor não Deixa”, “Apaixonada por Você” e “Eu Posso Te Sentir”. Em 2001, lança seu segundo álbum homônimo, Wanessa Camargo, liberando para as rádios “Eu Quero Ser o Seu Amor”, “Tanta Saudade” e “Gostar de Mim”. Em 2002 aceita o convite para se tornar apresentadora do programaJovens Tardes, na Rede Globo, no qual fica por dois anos. No mesmo ano passa por uma transformação, trocando o countrypela música pop com o single “Sem Querer” em terceiro disco homônimo, Wanessa Camargo. Em 2004, lança o primeiro álbum ao vivo, Transparente Ao Vivo e passa a integrar o elenco fixo da quarta temporada do seriado Sítio do Picapau Amarelo.

Em 2005 assina com a Sony e passa por uma reformulação com o lançamento do álbum W, aderindo à música dance-pop e compondo onze das quinze canções, sendo seu trabalho mais autoral. Neste projeto foram retirados seus singles de maior sucesso na carreira, “Amor, Amor” e “Não Resisto a Nós Dois”, além dos promocionais “Relaxa” e Culpada”, que ganharam boa repercussão nas rádios. Em 2007 passa a adotar o nome artístico apenas de Wanessa, deixando de lado seu sobrenome, e lança o disco Total, o qual vende 100 mil cópias, marcado pelo faixa “Me Abrace”. Em 2009 lança sua primeira canção em inglês, “Fly”, com o rapper Ja Rule, presente em seu sexto disco, intitulado Meu Momento. Em 2010 decide se dedicar à música eletrônica, liberando o EP Você não Perde por Esperar e, em 2011 lança o álbum DNA, com canções totalmente em inglês.

Em 2016, cinco anos após seu último álbum de estúdio, anuncia que estava redirecionando sua carreira a canções do gênerosertanejo, mas que não se rotularia como uma cantora de um gênero só. Em 19 de agosto lança seu oitavo álbum de estúdio para streaming, o intitulado 33.

As músicas mais tocadas da cantora são:

Coração Embriagado
Amor, Amor
Eu Nasci Pra Amar Você
Apaixonada Por Você
Fly (feat. Ja Rule)
Não Resisto A Nós Dois
Eu Posso Te Sentir
A Força Da Paixão
Eu Quero Ser O Seu Amor
Tanta Saudade

Ouvir Gabriela Rocha

0

Gabriela Rocha

gabriela-rocha-660x330

Gabriela Rocha Corrêa, mais conhecida como Gabriela Rocha (São Paulo, 13 de março de 1994) é uma cantora brasileira de música cristã contemporânea. Conhecida atualmente, por ser a cantora gospel mais popular da atualidade e ter autenticidade e personalidade em seu trabalho, mesmo sendo tão nova já soma milhões de visualizações no youtube e milhões de seguidores nas redes sociais. Com uma agenda lotada Gabriela leva a palavra de Deus através de suas canções pelo Brasil inteiro. Em 28 de julho de 2012, assinou contrato com a Sony Music e lançou seu álbum de estreia, Jesus com produção de Thalles e Fábio Aposan.

Seu segundo trabalho, lançado em dezembro de 2014 foi produzido por Daniela Araújo e Jorginho Araújo, e tem como título Pra Onde Iremos?.

As músicas mais tocadas da cantora são:

A Voz
Creio Que Tu És a Cura
Conversa de Filho
Casa do Pai
Eu Sou Teu
Creio em Ti (Still Believe)
Creio Que Tu és a Cura (Healer)
Cuida de Mim
Desperta (Wake)
Teu Santo Nome